"Meu deleite é escrever: sobre a enfermagem, o cuidar e o viver" - Onã Silva

Onã Silva - A Poetisa do Cuidar

"...o homem criativo é o homem comum do qual nada se tirou". Abraham Maslow

. Estomaterapia: cuidado à fina flor da poesi... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
.. Só conto pra você Onã Silva A Poetisa do Cuidar
...A Casinha de Clarinha (Coleção Letrita Ca... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
..Cuidar e rimar é só começar Onã Silva A Poetisa do Cuidar
..Grandes Enfermeiras - Histórias da Enferma... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
..Que cordelim lindim Onã Silva A Poetisa do Cuidar
.CORDEL DO TRABALHADOR: do labor até o burnô Onã Silva A Poetisa do Cuidar
.ENFERMAGEM COM POESIA: a arte sensível cuida... Onã Silva A Poetisa do Cuidar, Elioenai Dornelles Alves, Vários autores
.Histórias da enfermagem no universo de corde... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
.Voa Balão... Voa Imaginação... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
A Derrota de Penina Onã Silva A Poetisa do Cuidar
A Literatura das Mulheres da Floresta Autores diversos
A Quadradinha de Gude Onã Silva A Poetisa do Cuidar
A Quadradinha de Gude - 2ª edição Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Anjinho Minho... Mãezinha Minha... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Bote fé no Sindicato, ele tem atitude é fato! Onã Silva A Poetisa do Cuidar
BOTTON CUIDARTE: Cuidar é arte, brincar faz p... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
BOTTON Voa Balão... Voa Imaginação Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Coletânea A Arte de Ser Mulher - Poesia Femin... Onã Silva A Poetisa do Cuidar, Vários autoras
Cronistas, Contistas e Poetas Contemporâneos ... Onã Silva A Poetisa do Cuidar, Adilar Signori, Alexandre Bonafim e outros
Enfermagem com Poesia: a arte sensível do cui... Onã Silva A Poetisa do Cuidar, vários autores
Enfermagem Simbora! Vamos lutar pelas 30 hora... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Federação Nacional põe o bloco da enfermagem ... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Histórias da enfermagem no universo de cordel... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Histórias de Florence Nightingale e Anna Nery... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Ludicidade e suas interfaces Onã Silva A Poetisa do Cuidar, Antônio Villar Marques de Sá e outros
Miriã, uma Enfermeira Bambambã Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Mundo-Bola Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Poesia nas lentes do monóculo: meus pais Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Sai pra lá com essa OS, a saúde do povo agrad... Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Textos


 
RESENHA
FILME: PARIS, TEXAS
ROTEIRISTAS: L.M. Kit Carson e Sam Shepard
RESENHISTA: Onã Silva
 
Paris, Texas é um filme de 1984, do gênero drama, dirigido pelo cineasta alemão Wim Wenders. Sucesso de público e de crítica, recebeu prêmios internacionais, como a Palma de Ouro, por melhor filme, no Festival de Cannes. O filme é singular: história densa e destaca-se pela trilha sonora melancólica de Ry Cooder. Os protagonistas foram interpretados pelos atores Nastassja KInski e Harry Dean Staton.
 
 
 
Paris, Texas é um filme insólito. Expõe o drama humano diante da dificuldade de relacionar-se harmonicamente com o outro – inclusive com a família.
 
Através da vida de Travis: sem rumo, sem presente e com uma relação familiar em passado turbulento, a escória humana é evidenciada.
 
Não há relacionamento contínuo no filme. Há rupturas amargas como a de Jane e Travis – estes personagens demonstram uma solidão densa que não é preenchida em momento algum no decorrer do filme.
 
A mudez de Travis é a marca do filme. Não há diálogos significantes, as pessoas trocam palavras através de poucas interações. Os diálogos muitas vezes são construídos com dificuldades e são na grande maioria reticentes e lacônicos.
 
A compulsão de Travis em andar sem rumo, atravessando tantos caminhos, explicita a angústia humana – que às vezes precisa de uma terapêutica fora do contato humano.
 
Hunter é filho de Travis, mas passou quatro anos sem ver o pai e a mãe. A criança apresenta-se dócil, apesar de abandonada pelos pais. Fica arredio com a presença paterna. A aproximação do pai não é tão relutante. O filho quer o amor dos pais e tem o afeto dos tios.
 
A paixão de Travis e Jane tem um comportamento patológico (o ciúme e o sufocamento, por exemplo). Sobreviveram até a fuga da mulher numa homeostase construída pela desconfiança, aprisionamento e sufocamento.
 
Travis é embotado afetivamente, procura debaixo de um sol causticante a única esperança para sua desestrutura: um pedaço de terra sem atrativo.
 
A distância de Paris, Texas é semelhante ao distanciamento dos personagens.
 
Não há interações com outras famílias. O filme resume-se nos momentos claudicantes de Travis: anda sem parar.
 
A estrutura plástica do filme é iniciada pelo sol causticante e paradoxalmente vai decorrendo com ambientes frios e lúgubres. A plasticidade do filme é comum, revelando apenas alguns momentos a arquitetura singular de Los Angeles e Houston.
 
Pode-se afirmar que o filme explicita o caótico ambiente familiar – um verdadeiro niilismo nas relações humanas.
 
Depois de assistir Paris, Texas não há espaço para o telespectador ignorar que o filme é verdadeiro e atual, por explicitar a dramática realidade humana, dos tempos modernos.
 
O filme expressa a inadequação do homem em sobreviver diante de suas limitações afetivas e a fuga de Travis para Paris, Texas é o desejo do homem em hibernar-se para aliviar suas dores, sofrimentos e dificuldades.
Onã Silva A Poetisa do Cuidar
Enviado por Onã Silva A Poetisa do Cuidar em 03/08/2010
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Amigo virtual, Onã Silva - A Poetisa do Cuidar convida você para uma visita e para bater um bom papo neste recanto literário-expressivo-criativo. Página de ideias criativas, poéticas e artísticas Criatividade e arte estão no ar! E-mail:onasilva@onasilva.com.br